domingo, 24 de junho de 2012

E agora o que eu vou comer?!



Após tantas revelações feitas nas minhas palestras e no blog sobre os alimentos ultra-processados – que até biscoito água e sal, gelatina e barrinha de cereal podem não ser saudáveis – as pessoas ficam desesperadas sem saber o que comer.
            Já ouvi várias vezes frases do tipo “Então para ser saudável eu só posso comer mato?”. É então que percebo com tristeza, como o conceito de alimento está sendo deturpado de forma brutal.
O que as pessoas chamam de “mato”, são verduras e legumes, e falando dessa forma, deixam claro que não as consideram como alimento (pelo menos não para humanos), ao passo que consideram “alimento” produtos sem qualquer valor nutritivo, como refrigerantes, embutidos, salgadinhos, sanduíches, doces.
Devemos ter como conceito de alimento, algo que é bom antes, durante e depois do seu consumo. Ser bom antes significa agradar aos olhos, ter uma boa aparência, um aroma apetitoso. Durante, quer dizer que deve ser saboroso, aguçar nossas papilas gustativas. Depois, é o benefício que traz ao organismo, fornecendo substâncias que regularão as funções fisiológicas, promovendo harmonia metabólica e saúde.       
O que, baseada em conhecimento científico, considero alimento é o que fornece um conjunto de substâncias nutritivas indispensáveis para manter a vida e a saúde. Partindo desse conceito, como considerar “alimento” produtos ricos em aditivos sintéticos, sal e outras substâncias maléficas?
            Você já parou para pensar na diferença de prazo de validade entre os alimentos feitos totalmente por processo industrial e os caseiros? Um bolo feito em casa, dura no máximo 4 dias, no entanto, um bolo pronto (sem recheio), fica íntegro por mais de uma semana. Um bom exemplo é o panetone, que desde outubro já vemos à venda nas padarias e supermercados! Por que dura tanto? Devido ao uso de grande quantidade de conservantes e sal.
          Joann Bruso, uma nutricionista americana, deixou em cima da geladeira um kit lanche de uma rede de fast-food famosa no mundo todo, para ver quanto tempo durava e testar o poder dos conservantes. Após 1 ano inteiro, notou que não havia se deteriorado! Nem mesmo as moscas se aproximavam do lanche! São adicionados conservantes e sal em quantidades que permitem que esse produto seja conservado por mais de 365 dias!
Comida de verdade tem que estragar, porque é alimento vivo.
            Passe a ter o hábito de ler os rótulos de alimentos predominantemente industrializados (cuja maior parte da matéria prima foi formulada industrialmente), e verá que muitas vezes, mais de 50% do que está escrito, não reconhecemos como alimento. Será que o que está dentro daquela embalagem foi feito para atender às necessidades de saúde do nosso organismo?
A verdade é que não.
            Nosso corpo reconhece e precisa de vitaminas, minerais, água, carboidratos, proteínas e gorduras de boa qualidade. Exemplos de boas fontes são as frutas, verduras, legumes, cereais (arroz, trigo, milho, aveia), leguminosas (todos os tipos de feijão, soja, lentilha, grão de bico); encontrados naturalmente e não são predominantemente processados pela indústria ou feitos em laboratórios como os aditivos químicos.
            O corpo reconhece o que a natureza nos fornece. O que damos para ele de diferente causa  transtorno metabólico, que se manifesta em alergia, dor de cabeça, mal-estar, falta de vitalidade, indisposição, que nada mais são do que avisos de que por dentro as coisas não vão nada bem. 
Por que maltratar o organismo consumindo o que só faz bem da boca para fora, que depois de engolido não beneficia em nada, pelo contrário, dá trabalho para ser eliminado? Do que adianta agradar aos olhos, ao paladar, mas quando chega ao organismo causa má digestão, desconforto, enxaqueca, constipação, aumento de colesterol, hipertensão; além de nos predispor a outras inúmeras doenças?
Pense nisso, sua saúde é seu maior patrimônio.








3 comentários:

  1. Hoje vi seus vídeos no youtube, estou lendo boa parte do seu blog e sou muito grata por tudo o que tem propagado!
    Abraço,
    Bia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Agradeço o retorno Bia! Fico feliz que tenha interesse por alimentação saudável, e ainda mais se conseguir colocá-la em prática!
      Um 2013 muito saudável!

      Excluir